economia

  • Minha visão do Rio Grande

    Sob este título a  Zero Hora vem publicando uma série de artigos em que são expressas opiniões de lideranças políticas, empresariais e sindicais, respondendo a pergunta “O Rio Grande tem saída? Como?. Coincidentemente o título da pergunta é igual ao do livro que lancei no ano passado, contando com a participação de  mais três colegas. Como […]

  • A aprovação da contas estaduais de 2014: uma decisão lamentável

    O Tribunal de Contas recomendou, por unanimidade,  a aprovação das contas estaduais do exercício de 2014, apesar das irregularidades apontadas.
     
    São tantas as irregularidades constantes do relatório da sua equipe técnica e do Ministério Público de Contas (MPC), que precisaria de um espaço muitas vezes maior  para descrevê-las. Mas vou me deter em algumas.
     
    Sabemos […]

  • Oportunidade perdida

    A lei de responsabilidade fiscal (LRF)  estabeleceu uma série de regras para a administração pública que, se fossem cumpridas, cessariam os déficits orçamentários, fator causador dos altos juros que consomem grande parte dos recursos que seriam destinados às  funções básica de governo.
     
    No tocante à despesa com pessoal, ela fixou um limite de 60% da […]

  • Finanças estaduais: uma crise agravada

     
    O texto abaixo foi publicado na Revista do SESCON-RS, no mês de junho.  Ele não ignora as causas históricas da crise estadual, mas ressalta seu agravamento no período governamental de 2011-2014, onde foram criadas despesas de caráter continuado sem a existência de recursos para custeá-las. Foi feito um enorme déficit e esgotados os últimos recursos […]

  • Deterioração das contas estaduais: base abril/2014

    Em fevereiro do corrente foi publicado o livro “O Rio Grande tem saída?”, que escrevi contando com a participação de mais três colegas. No capítulo 9, item 9.2, consta uma projeção financeira para o período 2014-2019, que aponta um déficit orçamentário de R$ 2,7 bilhões em 2014 e uma média de R$ 4 bilhões entre […]

  • Aplicação de 10% do PIB em educação: uma lei para não ser cumprida

    Transcrevo a seguir o artigo publicado na Zero Hora de 05/07/2012, sob o título  “Mais uma lei só para o papel” e também o cálculo que demonstra matematicamente essa impossibilidade.

    O legislador brasileiro pensa que, ao aumentar a destinação de recursos orçamentários, automaticamente estará aumentando a capacidade de investimentos do governo, como se dinheiro pudesse ser […]

  • Porque Mantega segurou a renegociação (artigo ZH)

    A notícia de que o governo federal não se empenhará mais para aprovação das mudanças no acordo da dívida dos estados e municípios caiu como um balde de água fria nos planos de investimento dessas unidades federadas, especialmente em nosso Estado.
    Na realidade, o que está por trás dessa mudança de atitude do Ministro é […]

  • Contabilidade criativa no Brasil

    Nos últimos tempos tem sido praticada uma série de ações que pode colocar em risco o equilíbrio macroeconômico_ conseguido a alto custo pelo Plano Real_ e os fundamentos da Lei de Responsabilidade Fiscal. Isso se convencionou chamar de contabilidade criativa, que é uma manobra fiscal visando a mascarar o cumprimento de metas ou o resultado […]

  • É assim que nos endividamos…

    Passam-se os anos e não aprendemos com o passado. Continuamos a repetir sempre os mesmos erros. Digo isso ao ler na imprensa uma matéria sobre a intenção da Presidência da República de retirar os investimentos em mobilidade urbana do cálculo dos limites da dívida pública.
    Voltando ao passado, vamos ver que a Constituição de 1967 atribuiu […]