orçamento

  • Casa grande e senzala

    Os servidores do Poder Executivo, com exceção dos pertencentes à  segurança pública que receberam aumentos no governo anterior,  estendidos até 2018, os demais não foram contemplados  nem com a reposição da inflação, ou parte dela, durante o atual governo.

    E não receberam reajustes porque o governo do Estado não quis conceder?  Não. Porque ele recebeu o […]

  • Prefeitura nos passos do Estado…

    É tão grave a situação financeira do Município de Porto Alegre, que se pode dizer que ele está indo para o mesmo caminho do Estado, embora sua dívida seja muito menor.

    Nos demonstrativos financeiros do período janeiro a outubro do corrente, verifica-se que a receita corrente cresceu nominalmente apenas R$ 215 milhões, ou seja, 5%, sobre […]

  • Sem reformas o Brasil vai quebrar

    A frase de George Burns, um comediante americano, se aplica muito bem ao caso brasileiro: “É uma pena que todas as pessoas que sabem como governar o país estejam dirigindo táxi ou cortando cabelo”.

    No rol dos que pensam que sabem, mas pouco sabem como governar, eu incluiria mais algumas pessoas, inclusive alguns ilustres parlamentares. Passo […]

  • O crescimento da folha de pagamento do Estado

    A folha de pagamento do Estado do RS, administração direta, autarquias e fundações foi de R$ 13,4 bilhões em 2010, R$ 21,6 bilhões em 2014 e de R$ 25,3 bilhões em 2016. As primeiras datas referem-se ao último ano dos dois governos precedentes, da Sra. Yeda Crusius e do Sr. Tarso Genro (tabela no final).

    É […]

  • O ilusionismo político

    O modo mais eficaz de domínio de um povo não é pelas armas, e sim pela promessa de um sonho impossível de “governo grátis”. Esta interessante frase foi retirada do livro do Mito do Governo Grátis, de Paulo Rabello de Castro.

    Os políticos populistas conseguem se eleger e se manter no poder por vários anos, vendendo […]

  • Uma melhor distribuição de recursos é possível?

    Há uma crença generalizada de que os estados e municípios estão desequilibrados porque a arrecadação tributária é concentrada na União e que a solução para os primeiros seria a redistribuição dessa carga. Para certificar-me disso, fiz uma análise do assunto, que passo a sintetizá-la.

    Pelo demonstrativo da Carga Tributária no Brasil em 2015, da Receita Federal,  […]

  • Análise da proposta orçamentária 2017

    Conclusão

    A proposta orçamentária para o exercício de 2017 apresenta um déficit de R$ 3 bilhões, em valores redondos. E como agravante, a dotação para investimentos com recursos próprios alcança tão somente R$ 481 milhões, ou 1,3% da RCL. E esses recursos próprios só podem ser do caixa único ou dos depósitos judiciais (se assim podem […]

  • Os inimigos do equilíbrio orçamentário

    Sei que despertarei incompreensão e ódio por causa deste artigo, mas um impulso maior me levou escrevê-lo. No momento em que se fala em aumentar a despesa somente pela variação do IPCA, atingindo gastos sociais tão importantes como em educação e em saúde, porque, então não acabar com as indexações salariais no serviço público?
     
    A vinculação […]

  • Receitas de 2015 versus previsão: um descalabro anunciado!

    A Tabela no final traz as receitas da Administração Direta,  previstas e arrecadadas em 2015, onde se observa uma grande frustação, o que, aliás, já era previsto desde outubro/2014, quando da análise da proposta orçamentária para o exercício de 2015. Os dados completos com que foi construída a citada  tabela estão no link. https://www.sefaz.rs.gov.br/AFE/REC-CON_1.aspx

    Deve ser considerado […]

  • Déficits orçamentários do Estado do RS

    É comum ouvir falar que o Estado do RS desde 1970 obteve resultados orçamentários positivos somente em sete anos. Isso é verdade, mas é uma meia verdade, pelo seguinte motivo.

    Entre 1970 e 2014 passaram-se 45 anos e só houve resultados orçamentários positivos nos anos de 1989, 1996, 1997, 1998, 2007, 2008 e 2009, sete anos […]